Obesidade e seus riscos para saúde, saiba mais

Obesidade e seus riscos para saúde, saiba mais

Nos últimos anos, algumas doenças crônicas tiveram um aumento de incidência em todo o mundo, devido ao atual estilo de vida de grande parte da população. Uma dessas doenças é a obesidade.

Esta é uma condição que acomete mais de 20 milhões de pessoas apenas no Brasil e que tem atingido pessoas cada vez mais jovens. Muitas pessoas tentam perder peso, mas tem muitas dificuldades devido ao estilo de vida e a fatores genéticos e acabam com um acúmulo de gordura corporal.

E quanto maior o número na balança, maiores são os riscos para a saúde, já que o excesso de peso e a gordura podem debilitar muito o organismo.

Conheça agora um pouco mais sobre o que é ser obeso e saiba como isso pode deteriorar a saúde.

Acumulando gordura

A obesidade é caracterizada pelo ganho de peso excessivo, com grande acúmulo de gordura corporal. Este acúmulo é tão extremo que prejudica a saúde da pessoa em vários aspectos.

Ou seja, nem todo ganho de peso é considerado crítico. A massa corporal de uma pessoa é avaliada a partir do Índice de Massa Corporal (IMC), que é calculado dividindo o peso da pessoa pela sua altura ao quadrado. Para ser considerado obeso, o indivíduo precisa ter um IMC maior ou igual a 30.

Veja também:

Este ganho de peso pode ser causado por vários fatores, mas em geral se deve a combinação de excesso de alimentação e/ou alimentação de má qualidade, poucas atividades físicas e predisposição genética.

Fatores como disfunções hormonais, stress, tabagismo, gestões sociais, remédios ou outras doenças associadas podem também contribuir para o ganho de peso.

A dieta é o fator de maior relevância. A explosão de casos de pessoas obesas ao redor do mundo comprova isso, já que a dieta mundial se tornou cada vez mais rica em alimentos ultraprocessados, açucarados e gordurosos e cada vez mais pobre em alimentos frescos.

Os alimentos ultracalóricos, com altas taxas de açúcar e carboidratos, além de estarem cada vez mais acessíveis, também se tornaram rotineiros. E a variedade deste tipo de alimento é muito grande, sendo consumido por pessoas de todas as idades o tempo todo.

Os carboidratos e açúcares servem para dar energia de rápida liberação ao corpo, sendo importantes para as funções vitais. Entretanto, quando não são utilizados, o corpo os transforma em gordura e armazena essa energia para um momento de escassez.

O estilo de vida sedentário, estimulado pelas comodidades modernas e pela correria do dia a dia ajuda a piorar a situação. Como não há queima de energia, não há escassez e a reserva só aumenta, a entrada de energia é muito maior que o consumo e como consequência, tem-se o acúmulo de gordura.

Carregando bagagem extra

Muitas pessoas consideram a obesidade antiestética, mas o problema vai muito além da aparência. Toda a gordura armazenada no organismo também causa riscos à saúde que podem evoluir para problemas sérios.

Isso ocorre devido a vários fatores. Mas uma das coisas que se deve considerar é o esforço a mais que o corpo precisa fazer para funcionar. É como se o corpo carregasse uma bagagem extra, que só ocupa espaço. A gordura e o peso extra causam aos poucos uma debilidade nas funções corporais devido ao esforço extra.

Outra questão a considerar é que a gordura pode se acumular nos órgãos e tecidos, como também circular no sangue e se acumular nas veias e artérias.

Tudo isso aumenta muito o risco de várias doenças e condições crônicas, que se não tratadas podem se complicar muito, ocasionando até mesmo o óbito. Os principais riscos para a saúde dos obesos são:

  • Hipertensão arterial: Pessoas com excesso de peso têm um grande risco de ter hipertensão arterial. A hipertensão é causada pela força do sangue contra as paredes das artérias. Se a pressão aumenta e se mantém elevada, o corpo pode ser debilitado de várias formas. Esta é uma doença conhecida como “assassino silencioso”, pois não produz sintomas até estar num estágio mais avançado.
  • Doenças cardíacas: o indivíduo obeso em geral tem altos índices de colesterol ruim, colesterol bom em níveis baixos, além de níveis elevados de triglicerídeos. Estes fatores, potencializados pela hipertensão arterial, aumentam muito o risco de doenças cardíacas como infarto, insuficiência cardíaca, angina e AVCs
  • Diabetes: A diabetes tipo 2 é o tipo mais comum e está intimamente ligada ao excesso de peso. Neste tipo de diabetes, o pâncreas secreta insulina, mas ele não consegue fazer com que as células utilizem a glicose para obter energia. A diabetes descontrolada traz muitos problemas de saúde, como problemas vasculares sérios que podem terminar em perda dos membros, podendo também ser fatal.
  • Doenças musculoesqueléticas: o excesso de peso força muito os músculos e ligamentos, causando problemas articulares principalmente nos joelhos, quadris e coluna vertebral, que sofrem para sustentar um corpo tão pesado. As principais doenças causadas são gota, osteoartrite e degeneração das cartilagens, que causam dor e inchaços.
  • Doença na vesícula biliar: a obesidade causa um aumento da secreção biliar de colesterol, que ocasiona saturação da bílis e uma maior ocorrência de cálculos biliares. Os cálculos biliares aparecem muito mais em pessoas obesas do que em pessoas com peso controlado.
  • Doenças respiratórias: Outros órgãos que sofrem com o acúmulo de gordura são aqueles do sistema respiratório. A apneia do sono é bastante comum em pessoas obesas, já que a maior quantidade de gordura no pescoço pode comprimir as vias aéreas, dificultando a respiração. Também é comum o desenvolvimento de asma e insuficiência respiratória em pessoas com obesidade.
  • Câncer: o risco de vários tipos de câncer aumenta proporcionalmente ao aumento de peso. Quem é obeso tem uma maior chance de desenvolver câncer. Nas mulheres, o risco de câncer de mama, útero e ovário é três vezes maior. Nos homens, o risco é o câncer de próstata.

Recuperando a saúde

A obesidade pode realmente piorar muito a saúde das pessoas e aumentar o risco de várias doenças, muitas delas bastante graves. A boa notícia é que muitos destes riscos podem diminuir drasticamente com a perda de peso. E nem é preciso atingir o peso ideal para ver uma melhora na saúde.

Uma perda de peso inicial de pelo menos 5% do peso corporal pode operar melhorias na condição geral do obeso e aos riscos para a saúde. A perda pode até ser lenta, mas iniciar o processo já trará muitos benefícios.

Ao reduzir o peso, a pessoa tem uma redução nos níveis de triglicerídeos e de colesterol, além da redução da pressão arterial. Também há um aumento da sensibilidade à insulina, o que reduz muito o risco de diabetes tipo 2.

Sem falar que a redução de peso ocasiona uma diminuição na tensão exercida sobre os ligamentos e articulações, ocasionando uma redução de dores e inchaços de membros. A pessoa começa a ter menos dificuldades respiratórias e passa a dormir melhor.

Portanto, tudo isso ocasiona maior bem-estar e disposição de forma geral, além da redução dos riscos à saúde. O importante é dar o primeiro passo é começar a emagrecer, andando em direção a uma vida melhor e mais saudável.

Mostre seu Sentimento!
+1
2.5k
+1
4.3k
+1
5.8k
+1
2.5k
+1
1.9k
+1
5
+1
7

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *